Oracle RAC

Oracle RAC

Desempenho, Escalabilidade e Confiabilidade Insuperáveis

Somos especialistas e certificados em Oracle RAC. Podemos proporcionar ao seu negócio tudo o que a mais inovadora e robusta solução para banco de dados em cluster pode oferecer, com profissionais treinados e altamente capacitados, visando uma operação mais moderna, eficiente e com menor incidência de problemas e indisponibilidades.

Arquitetura Oracle RAC

Visão Geral

  • Implementações de banco de dados em cluster para alta disponibilidade, desempenho e agilidade;
  • Tecnologia premier de cluster de banco de dados de disco compartilhado da Oracle;
  • Execução eficiente de qualquer aplicação em pacote ou personalizada;
  • Implementações escolhidas por gerenciamento de administrador ou política.

Benefícios

  • Execução de todas as cargas de trabalho do banco de dados em qualquer um dos nós ou de forma distribuída;
  • Fundamento para nuvens de banco de dados;
  • Dimensionamento e escalonamento sob demanda;
  • Disponibilidade máxima para o banco de dados;
  • Gerenciamento de carga de trabalho flexível.

A Solução RAC

O Oracle Real Application Cluster (Oracle RAC) é uma solução de alta disponibilidade da Oracle que permite que mesmo que um dos nós do cluster tenha um problema, a operação continue sem interrupção. Pode ser usado como fundamento de um sistema de Cloud de banco de dados, podendo ser expandido sob demanda, bem como uma infraestrutura compartilhada, o que garante alta disponibilidade, escalabilidade e agilidade para qualquer aplicação.

Trata-se de uma plataforma em Cluster, capaz de atender (através de qualquer um dos nós do RAC) quaisquer demandas e requisições enviadas ao banco de dados.

Perda de um Servidor

Se ocorre uma falha em uma instância, as instâncias restantes no cluster permanecem abertas e ativas. O Oracle Clusterware monitora todos os processos da Oracle e imediatamente reinicia o componente com problema.

Oracle Extend RAC (Failgroup)

O Oracle Extend RAC permite a existência de failgroups, o que permite a cada nó a independência necessária para que opere mesmo em face ao desastre total do outro nó.